sexta-feira, 24 de abril de 2009

25 de Abril - Sempre.

Portugal Ressuscitado

Depois da fome, da guerra
da prisão e da tortura
vi abrir-se a minha terra
como um cravo de ternura.

Vi nas ruas da cidade
o coração do meu povo
gaivota da liberdade
voando num Tejo novo.

Agora o povo unido
nunca mais será vencido
nunca mais será vencido

Vi nas bocas vi nos olhos
nos braços nas mãos acesas
cravos vermelhos aos molhos
rosas livres portuguesas.

Vi as portas da prisão
abertas de par em par
vi passar a procissão
do meu país a cantar.

Agora o povo unido
nunca mais será vencido
nunca mais será vencido

Nunca mais nos curvaremos
às armas da repressão
somos a força que temos
a pulsar no coração.

Enquanto nos mantivermos
todos juntos lado a lado
somos a glória de sermos
Portugal ressuscitado.

Agora o povo unido
nunca mais será vencido
nunca mais será vencido.

José Carlos Ary dos Santos

(Caxias, 26 de Abril de 1974)

Para que da nossa memória não se apague a esperança....

15 comentários:

Brancamar disse...

Sou a primeira? Que bom!
Deixo só um beijinho breve e alegre por ver aqui este cravo de esperança e vou-me deitar cedinho, porque amanhã quero estar na Homenagem que a Câmara de Gaia vai fazer a um amigo, a título póstumo, pela sua militância cívica, era um Homem de Abril, mas sobretudo um Homem generoso e votado a todo o tipo de causas.
Fiquemos pois com esta esperança e com as palavras sempre belas de Ary dos Santos.
Beijinhos
Branca

Anónimo disse...

Viva o 25 de Abril. Obrigada pelo poema. Bom fim de semana.
bj
Gena

Tite disse...

A melhor homenagem que podemos fazer ao Ary é dizer de novo esta frase que ele criou...

25 de Abril, SEMPRE!

Hoje enviámos mensagens alusivas a esta data aos nossos filhos e a todos os nossos amigos que viveram esta data marcante nas nossas vidas.

O meu filho mais novo respondeu:

Obrigada Pais pela Liberdade que abriu caminho ao meu futuro.

Valeu a pena!!!

Brancamar disse...

Hoje já passei por três ou quatro poemas de Ary dos Santos sobre o 25de Abril, todos lindos...
Vou deixar mais este, que é dos que mais gosto e embora dÊ para o NAtal, também bem muito a propósito:

Kyrie

Em nome dos que choram,
Dos que sofrem,
Dos que acendem na noite o facho da revolta
E que de noite morrem,
Com esperança nos olhos e arames em volta.
Em nome dos que sonham com palavras
De amor e paz que nunca foram ditas,
Em nome dos que rezam em silêncio
E falam em silêncio
E estendem em silêncio as duas mãos aflitas.
Em nome dos que pedem em segredo
A esmola que os humilha e os destrói
E devoram as lágrimas e o medo
Quando a fome lhes dói.
Em nome dos que dormem ao relento
Numa cama de chuva com lençóis de vento
O sono da miséria, terrível e profundo.
Em nome dos teus filhos que esqueceste,
Filho de Deus que nunca mais nasceste,
Volta outra vez ao mundo!

(José Carlos Ary dos Santos)

Não tenho sido uma boa participante do ginásio, mas tenho andado mal, mal de tempo, mal de saúde, mas nunca pior. Agora estou de saída, logo volto.
Muitos beijinhos.
Branca

Tite disse...

Rápidas melhoras, amiga Branca!

Anónimo disse...

Bem haja Branquinha pelo lindo poema e as suas melhoras.
Bj
Gena

elvira carvalho disse...

Ary foi um dos poetas que melhor cantou Abril.
Não concebo uma vida feliz sem Liberdade, e sei bem como era antes do 25 de Abril.
Mas Liberdade sem pão, também não faz ninguém feliz e vejo como vive grande parte do país.
Penso que os objectivos do 25 de Abril, ficaram só pela metade, e mesmo essa metade, vejo-a cada dia mais ameaçada, pelos falsos democratas que nos governam.
Um abraço e bom fim-de-semana

Linda disse...

Olá,
Chego atrasada mas... o 25 de Abril também está atrasado, tanta coisa que ainda está por fazer!
Do 25 de Abril só me lembro que não tive escola e a vizinha do lado tinha o rádio com o som no máximo e só se ouvia Grandola Vila Morena.
Finalmente chegou a Liberdade e começou uma era nova!
Vamos tendo a esperança que algo mude e ai podermos cantar Abril com todo o esplendor.
Viva a Liberdade
Beijinhos
Linda

fj disse...

Já escrevi algures...que pena só abril ser recordado...no mês de Abril!
beijinhos


Ps:

Clau, Graça...

há um problema com o numero 1...eu não tenho nada a ver com ele.
:)

Graça Lopes disse...

Cheguei! Não vim para ficar mas pelo menos já deu para dar uma voltinha pelas nossas salas de exercício e para ler os últimos comentários. Estive mesmo afastada com imenso por fazer de modo que nem dava para ligar o PC. Agora fiquei a ver que a nossa Branca esteve doentinha (espero que o "esteve" esteja correcto mas vou confirmar por telefone).
Também gosto muito do poema do Ary que nos deixou.
Tite, concordo com o teu filho, também acho que valeu a pena, apesar de tudo.
F.J. parece que o problema com o número um já está resolvido! Ufa, foi difícil!.... por isso é que os problemas se multiplicam na matemática!
Parabéns por pôr tantas cabecinhas a pensar matemática!
Linda, Elvira, Geninha,... beijinhos.
Mila, nas "salas" do lado direito, lá ao fundo, aparece uma "AL MA" da nossa prima Cristina Alvarenga, dá uma olhada para veres a artista da família!

Emilia Almeida disse...

olá priminha!Fraca a comentar,como fraca continua a minha net.
Já fui ver o bolg da priminha.Gostei.Pensava que ela era professora.E será!O que ñ tira de ser uma linda pintora.
convidaste-a a vir ao teu ginásio?Para podermos comentar.
A vida é assim cada qual segue o seu rumo e hà quantos anos ñ nos vemos.Beijinhos

Mila

Brancamar disse...

OLá Graça,

No comentário ao meu comentário esqueceu-se de me reprrender por ter trocado os vs pelos bs, mas que vergonha, eu que nunca tive essa mania dos portuenses é a segunda vez que o faço na blogosfera. Então aí vai 10 vezes, diria o ovinho:
vem a propósito,
vem a propósito,
vem a propósito,
vem a propósito,
vem a propósito,
vem a propósito,
vem a propósito,
vem a propósito,
vem a propósito,
vem a propósito,

Já chega de ginástica.
Volto já.
Beijinhos

Brancamar disse...

E volto mesmo, apressada e trapalhona, também troquei as letras, neste caso as teclas,atràs, em repreender, uff!
Agora é que digo, estou mesmo doente ou se calhar não, vão provávelmente ver-me menos na blogosfera, mas descansem que nunca me perdem de vista, sou "chata", mesmo que longe.
Muitos beijinhos.
Branca

Linda disse...

Tadixa da Branquinha... se fosse à uns anos atras levava com a régua (coincidência as donas do Ginásio são da Régua) mas vá lá, já escreveu 10 vezes fica com pena suspensa... vou fugir porque se elas começam a verificar os erros não há régua que me valha... fuiiiiii


Beijos para todas as ginastas.
Linda

pin gente disse...

este poema é muito belo, obrigada!