quarta-feira, 1 de abril de 2009

Dia das mentiras

Neste dia em que é permitido mentir e talvez se minta menos do que nos restantes deixo-vos uma reflexão de um homem do Norte (Amarante) .
Dizia ele, no início do século passado:

"A MENTIRA É A BASE DA CIVILIZAÇÃO MODERNA"

"É na faculdade de mentir, que caracteriza a maior parte dos homens actuais, que se baseia a civilização moderna. Ela firma-se, como tão claramente demonstrou Nordau, na mentira religiosa, na mentira política, na mentira económica, na mentira matrimonial, etc... A mentira formou este ser, único em todo o Universo: o homem antipático.Actualmente, a mentira chama-se utilitarismo, ordem social, senso prático; disfarçou-se nestes nomes, julgando assim passar incógnita. A máscara deu-lhe prestígio, tornando-a misteriosa, e portanto, respeitada. De forma que a mentira, como ordem social, pode praticar impunemente, todos os assassinatos; como utilitarismo, todos os roubos; como senso prático, todas as tolices e loucuras.A mentira reina sobre o mundo! Quase todos os homens são súbditos desta omnipotente Majestade. Derrubá-la do trono; arrancar-lhe das mãos o ceptro ensanguentado, é a obra bendita que o Povo, virgem de corpo e alma, vai realizando dia a dia, sob a direcção dos grandes mestres de obras, que se chamam Jesus, Buda, Pascal, Spartacus, Voltaire, Rousseau, Hugo, Zola, Tolstoi, Reclus, Bakounine, etc. etc.E os operários que têm trabalhado na obra da Justiça e do Bem, foram os párias da Índia, os escravos de Roma, os miseráveis do bairro de Santo António, os Gavroches, e os moujiks da Rússia nos tempos de hoje. Porque é que só a gente sincera, inculta e bárbara sabe realizar a obra que o génio anuncia? Que intimidade existirá entre Jesus e os rudes pescadores da Galileia? Entre S. Paulo e os escravos de Roma? Entre Danton e os famintos do bairro de Santo António? Entre os párias e Buda? Entre Tolstoi e os selvagens moujiks? A enxada será irmã da pena? A fome de pão parecer-se-á com a fome de luz?."...

Teixeira de Pascoaes em “A Saudade e o Saudosismo”

7 comentários:

Linda disse...

Eu hoje não menti a ninguém... mas mentiram-me, aliás como todos os dias, e levo com cada mentira:(

Beijinhos
Linda

Albertina disse...

Eu abomino a mentira. Mesmo no "dia das mentiras"! Não acredito que uma civilização que tenha por base a mentira tenha um bom fim... Posso ser naif, mas acredito na justiça divina. Penso que os que adoram essa "omnipotente Magestade" um dia sofrerão na pele os efeitos dessa heresia. Eu acredito na lealdade, na frontalidade, na honestidade...Às vezes sinto-me tão só nesta cruzada quase impossível contra a mentira... mas hei-de continuar, qual D. Quixote lutando contra moinhos de vento...

Brancamar disse...

Graça, Graça,

Mas que filosófica estava hoje, que é como quem diz ontem, pois passa um pouquito das 24h.
Eu gostava de aprofundar isto tudo, acho que volto amanhã. Andei por um velório à noite (por engano), depois o dia de trabalho foi duro,já estou para o lado de lá, mas ainda assim não sei se a fome de pão se parece com a fome de luz, já me pareceram idênticas, mas cheguei cedo à conclusão que com o estômago vazio e muitas horas de trabalho não há tempo para a Luz, nem tão pouco Luz que resista. Já os antigos diziam que "é muito fácil falar de barriga cheia" e eu acho que é mesmo o mais triste que nos pode acontecer, é ter que ocupar o tempo todo na sobrevivência, na luta pelo pão e não nos sobrar mais nada. Bem, mas como disse estou para o lado de lá, amanhã ismiuço o post todo, que para tràs, que tem muito que se lhe diga.

Isto é que foi dar-nos pão para a alma!

Eu tenho muita fome de luz, lá isso tenho, mas felizmente tive sempre a barriguinha cheia para poder pensar muito na Luz e mesmo tendo agora pouco tempo, deixo tudo para tràs e corro para ela, mas penso muito nas mulheres que entram numa fábrica às 8h da manhã e saiem às 19h/20h, que ainda trabalham em casa pela noite dentro, que por vezes quase só veem os filhos ao fim de semana...e não me venham dizer que a maior perte delas não têm exigências intelectuais, porque nos tempos que correm são cada vez mais pessoas com o 12º ano e até mais a fazer tantos desses trabalhos. Claro que nem sempre a formação académica corresponde à sede de saber, podem existir nesses grupos pessoas pouco interessadas, como também há e sempre houveram autodidactas, que vivem as angústias e alegrias do espírito e do saber.
Mas para quem tem que pôr a fome de pão em primeiro lugar, para si e para os seus familiares, acredito que ficará com uma enorme fome de LUZ e uma tristeza muito profunda...
Que "Seca" que vos dei!
Beijinhos

Anónimo disse...

Olá Ginastas!
Desejo uma Páscoa cheia de luz para todas. Cuidado com os doces nomeadamente as amendoas.
Bjs com muita luz.
Gena

Ovinho Estrela(do) disse...

Graça!!

não li nadinha aí do post porque é muito "prefundo" para o momento que quero aqui partilhar consigo!! Mas percebi pelo título que é sobre o dia das mentiras!!

Quero lá saber de mentiras, só sei que VERDADE VERDADINHA É EU TER ACABADO DE ENTRAR DE FÉRIASSSSSSSSSSSSSSSSSSSS!! :)))))

Vá, marquem lá a melhor mesa com vista sobre o Rio... Dentro de míseros dias estarei aí de malas aviadas!!


Graça, um Tchim-Tchim a nós!!

Um viva às nossas férias!! dias e dias sem papéis!! Sem pautas!! sem quadradinhos para preencher!!

(semanas e tal só com dias... As noites a passarem como se de dias se tratasse... Arre!!!!!!)

Beijosssssssssssssss :)))

Graça Lopes disse...

Estou desiludida.
Depois de muita pesquisa sobre o dias das mentiras encontrei este texto de Teixeira de Pascoais e todo convencida que iria dar uma imagem séria num dia de bricadeiras, tal a "prefundidade" do texto e afinal o que consegui?
A Albertina, que abomina a mentira, não achou a mínima piada, a Branca que chegou cansadita e ávida de luz, ainda conseguiu e muito bem filosofar o filosófico texto e a Ovito nem se deu ao trabalho de o ler, tal a euforia do momento "adeus pautas até à próxima".
Meninas, eu não menti a ninguém, tal como a Linda. Fui passar dois dias à aldeia, tratar da horta e lavar garrafas.... que divertido!
A Mila lá anda tadita muito tristuxa sem net e zangada com a PT pelo mau serviço prestado. Manda muitas saudades para todas e lamenta não saber ainda quando terá o problema resolvido.
Hoje vim dormir a casa e amanhã volto ao trabalho. As férias ficam só para a semana.
Cá fico à espera da Ovo para o lanche à beira Douro!
Beijinhos

Anónimo disse...

Graça!!!

Nada de desilusões!!

A mesangem é "prefundíssima"!!!

Nós é que andamos a correr!!!A culpa é do raio dos patins que o sistema nos coloca em algumas fases da vidinha!!

Pronto, já culpei o sistema!! Só me falta culpar o Sócrates!
Mas ele já apanha tareia de tanta gente, que o dispenso das minhas palmadas! Tadito!

Ai claro que respiro de alívio por não ver pautinhas e coisinhas na frente!!! Se lhe parece... eheheheheh

beijosssss

ovo*