sábado, 27 de junho de 2009

Útil vs Inútil

"Há dias recebi um mail que não resisto a partilhar convosco.
Em resumo, trata-se de uma série de considerações sobre certo tipo de "poupanças" tidas como altamente perniciosas.


De facto, se o leitor tiver o hábito de guardar:

- Objectos inúteis, acreditando que, um dia, poderá precisar deles;
- Roupas velhas, móveis, utensílios domésticos ou outro tipo de equipamento que já não usa há algum tempo;
- Dinheiro que devia gastar e não gasta, com a obsessão de que, no futuro, ele lhe vai fazer falta;
- Dentro de si mágoas, medos, ressentimentos ou raivas.

Então deixe de o fazer.

É um comportamento antiprosperidade que o está a tornar mais pobre.
É essencial eliminar o inútil e criar campos vazios para que coisas diferentes possam chegar às nossas vidas. É este vazio que irá absorver e atrair aquilo de que realmente precisamos. Enquanto estivermos material e emocionalmente carregados de inutilidades, não estará criada a atmosfera que permite as novas oportunidades.
Os bens precisam de circular. Para isso limpem-se gavetas, armários e sótãos e dê-se o que já não se usa. Se for necessário, venda-se, troque-se, movimente-se, mas não se acumule. Arranje-se espaço para o que é novo. Guardar um monte de coisas inúteis amarra a vida de todos nós. Não são os objectos guardados que a emperram, mas sim, o significado do gesto de acumular.

Quando se guarda, é porque se considera a possibilidade da "falta" ou da "carência" e, sobretudo, se acredita que amanhã não teremos meios de prover a essas necessidades.

Tal postura envia ao nosso cérebro e a nós próprios duas tristes mensagens.

A primeira é a de que não confiamos no futuro.
A segunda é a de que aceitamos que o "novo e o melhor" não é para nós.

O simples acto de dar o que não faz falta e ocupa lugar cria um vácuo para que algo de novo, útil, necessário e próspero conquiste o espaço deixado livre. Quer falemos de aspectos materiais quer falemos de aspectos emocionais.




Impõe-se, assim, fazer uma faxina nas nossas vidas. Apesar da trabalheira que dá e do cansaço que provoca, traz mais-valias inesperadas e insuspeitas. E deixa entrar uma brisa que oxigena o ar de quem a respira!"

Helena Sacadura Cabral
(post plagiago do blog de Cátia Azenha)

11 comentários:

Cátia disse...

Minha querida,

Plaginado nada... A crónica é da Helena Sacadura Cabral, alguem que admiras... Eu coloquei-o lá porque enviaram-me com uma razão... porque a pessoa que mo enviou diz que eu estou a alterar a sua vida, a sua forma de olhar para os objectos, através de um apelo que fiz sobre a campanha "Reanimar o Saber". Porquê guardar as coisas quando sabemos que não nos farão falta e poderão fazer tanta falta a outros? Essa pessoa está a empacotar livros e mais livros para os Meninos de Moçambique...
Aproveito e deixo aqui o link onde estão alguns pormenores da campanha, caso alguem queira espreitar: cticho.blogspot.com/2009/06/reanimar-o-saber.html

---

Quanto à cronica em si, chamou-me a atenção que falasse tambem em sentimentos... Quantas vezes guardamos sentimentos que não deveriamos? E quantas vezes eles não permitem que criemos espaço para outros? Há mesmo que fazer uma faxina e criar espaço em nós e para nós.

Beijinho grande querida amiga
CA

Cátia disse...

Plaginado = Plagiado

Plagiado
Plagiado
Plagiado
Plagiado
Plagiado

Anónimo disse...

Cátia: ainda bem que corrigiste! Ia justamente obrigar-te a escrever a palavra cinco vezes! :D

Bem sei que as palavras são de Helena Sacadura Cabral, mas tu foste quem o blogou primeiro!

Sim, sentimentos... Quando o li e quando o reli no mail que me enviaste, pensei justamente nisso... Os que guardamos e não permitem que a alma apanhe ar. enrolando-se os maus feitios no cotão da vida e dos sotãos que todos temos dentro de nós, lá no piso de cima!

Dessa campanha dos livros irei escrever aqui, quando terminar o tempo de vida deste post. Foi justamente essa a minha intenção! Acredita que ainda vamos fazer uma boa campanha sobre isso.

Muitos beijinhos, cátia! *

:)

ovinhoestrelado*

Angela Maria disse...

É bem verdade!

O Universo dá-nos tudo o que desejamos... guardar tralha é como guardar o passado na nossa mente e viver em função dele!

Viva no novo, ao renascimento do momento presente!

Beijinhos

Eugénia Proença disse...

Também concordo... Também gostava de guardar até revistas vejam só?
Agora que resolvi dar uma grande volta ao objectos guardados, ( só a receber pó e ocupar espaço), deitando o que não prestava para a reciclagem e dando para instituições roupa e mais pertences, sinto -me mais leve e tenho mais espaço.
Não mais guardo o que não tem interesse uso e depois dou-lhe outro rumo.
Obrigada querida Ovinho e mande mais coisas lindas.
Pois é o pequinino está quase quase a vir cá para o nosso mundo. Andam todas aterefadas com o enxoval, também agora todas têm todo o tempo para mostrar mais uma vez os seus dotes de artistas. a titi vai gostar e não se importar de aumentar mais uns cabelitos brancos que lhe ficam muito bem....
Bj grande
Gena

Linda disse...

Eu já tinha lido este texto, e de facto é muito profundo, se todos fizessem a verdadeira faxina à alma o mundo seria melhor, não existiria rancor, essa palavra tão feia que reflecte tudo o que de mau se guarda!

Depois temos as tralhas que acumulamos durante uma vida à espera de lhe dar uso, o que geralmente não acontece!
Eu não tenho o hábito de guardar o que não uso, até porque o meu T2 não permite, o espaço é pouco, talvez por isso aprendi que tenho de me separar de certas coisas. Dou muita coisa aos pobres. No ano passado ganhei de prémio um computador, como aqui em casa não fazia falta fui leva-lo a uma instituição. Não me apego a bens materiais!

Da vida guardo tudo o que de bom ela me dá, isso não jogo fora! guardo tudo, tudinho! E aí sim tenho espaço de sobra para receber mais!

Beijo grandeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Linda



P.S. Isto de plagiar os outros!!! Ok, tu assumiste, ihihihihih, olha se o outro vem cá, credoooooo
ahahahaahahahahahaha
ainda me vão cair os dentinhos, fuiiiii

Cátia disse...

Linda, o outro sou eu... :D Nao ha problema... foi um plagio consentido ;)

Anónimo disse...

Ângela Maria: concordo plenamente! Mas, por vezes, há "tralha" que "ainda" nos faz falta... é muito complexo isto de "deitar fora"... Muito! :)
Muitos beijinhos para si! :)



Geninha: em bens materiais eu também sou uma "guarda-quase-tudo"... Depois junto papelixos e caixinhas e coisinhas e loisinhas que acabam por me irritar nas gavetinhas e armários... Mas já me aconteceu terem vindo a ser úteis depois, é um facto! Os sentimentos guardados e que devem ir pela janela fora, esses lá seguem viagem quando chega a hora deles. Mas alguns perduram tempo a mais, reconheço. Mas ainda bem que sou humana! ;)
Muitas saudades para ai e um beijinho fantástico para si!
(Não fale nos cabelinhos brancos da Titi, que alguns ainda fui eu que lhos pus!!! eheheh)


Linda: eu tento sempre não a contrariar até porque a nossa péssima relação já começa a extravasar!!! Mas olhe que há palavras bem piores que "rancor"!! (PUZETEIRA é uma delas!!! ahahah)
Agora a sério: quem não guarda sempre em si algum sentimento menos bonito?? Somos todos perfeitos? Há sempre algo que fica em nós, não gostamos de ser magoados, caramba. Mas também quando magoamos nos fica aquele ratinho a moer...
Quanto à tralha material, proponho que adquira aquelas vivendas espectaculares junto da piscina da Granja!! Deve ter arrumação por um sarilho para a sua tralha! Também me ofereço para guardar aqui em casa aquelas caixas de amostras fofinhas que tenha a mais e a encher-lhe o espaço lá pelo seu T2!! :D

Agora isso plágio... Veja lá se quer que eu mande a Fadinha dos Dentes deixar-lhe mais um presentinho na almofada... Que gracinha! Toda a gente pode ter lido esta crónica, até porque nem é minha! É de alguém bem mais conhecido do que eu! Que implicativa...
e identifiquei o blog de onde a retirei porque não quero cá coisas com o outro, cruzes!!
Ai o outro!!! O outro!! :D

Beijinhos, amiga!*



Cátia: o "outro" é o outro!! Não és tu! Mas aviso já que te cuides! Se um dia fazes um plágio no teu blog e não identificas a fonte, vai lá o outro!! :D


(Agora vão andar todas para saber quem é o outro!!)
Afinal havia outro!! la la la!!

:D


.........................

Beijinhos! *

ovinhoestrelado*

Graça Lopes disse...

Também já recebi esta mensagem por mail,(creio que vinda da Ângela). Também já falei com a Gena deste assunto. Mas ainda é difícil desfazer-me de certos objectos, mas vou ter que alterar isso porque a casa não cresce e realmente há que ter lugar para coisas novas.
Quanto a sentimentos, só guardo aquilo que for muito bem. Aí não tenho problema em enviar para o lixo aquilo que não presta e isso porque tenho a certeza que não venho a precisar!

Já passei no sítio da ângela para deixar um beijinho de parabéns. A minha priminha faz anos hoje! Parabéns Ângela.

Linda disse...

Catia,
Eu quando comentei devia ter dito que li o texto no teu blog,(eu tb vou ao "Ticho") sabes que eu vou lá de vez em quando só que sou muito tímida e envergonhada por isso não comento, ahahaahhahahahahahahahahah

Como a ovinho já explicou o outro é o outro:P

Afinal havia outro e tu sem nada saber!!!

Bjs

Cátia disse...

Linda,

Nao me venhas cá dizer que o meu Ticho anda famoso e eu ainda não tinha dado por nada?! Fiquei sem palavras... Obrigada. É uma honra receber-te por lá... Que tal comentar? Não ha vergonhas que sempre durem... Aquilo é tudo familia, está a vontade, a porta está escancarada para todos.

Já passei duas ou tres vezes pelo teu blog tambem (apenas :$), existe sempre uma curiosidade por conhecer um pouco as pessoas com que nos cruzamos... Vou voar para lá agora.

Até já, lá.

Beijinhos,
CA

---

Quanto ao plagio... vou ter mais cuidado por causa do outro... é que o outro pode sempre aparecer e nao queremos isso, não é? Fiquei extremamente esclarecida, claro... ;)